Educação alimentar e nutricional para crianças, adolescentes e familiares em uma escola pública de Salvador, Bahia

Palavras-chave: educação alimentar e nutricional, hábitos alimentares saudáveis, saúde escolar

Resumo

Objetivos: Estimular o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis em escolares e seus familiares, por meio de uma intervenção de educação alimentar e nutricional em uma escola pública da rede municipal de Salvador, Bahia. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, do tipo relato de experiência. Foi elaborada uma ação educativa com escolares na faixa etária de 4 a 13 anos e seus responsáveis. Foi realizada uma roda de conversa abordando principalmente a relevância de uma alimentação adequada no desenvolvimento e saúde das crianças e adolescentes, bem como a importância e a influência da família na construção de hábitos alimentares saudáveis. Houve ainda degustação de receitas saudáveis e foi aplicado o teste de aceitabilidade com base na escala hedônica facial mista. Resultados: Todos os familiares presentes avaliaram positivamente a ação, referiram compreender a necessidade de se oferecer lanches saudáveis e comentaram que preparariam em casa as receitas realizadas. E apenas duas das seis preparações culinárias ofertadas foram bem-aceitas. Conclusão: A intervenção proporcionou a ampliação dos conhecimentos dos participantes. Entretanto, a realização de ações em educação alimentar e nutricional que apresentem maior duração são necessárias para que se possa promover a alimentação saudável de maneira mais efetiva e contribuir com a construção dos hábitos de vida dos escolares e suas famílias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Borges Kroth, Universidade do Estado da Bahia
Departamento de Ciências da Vida. Nutrição.

Referências

Gabriel CG, Santos MV, Vasconcelos FAG. Avaliação de um

programa de hábitos alimentares saudáveis em escolares de

Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Rev Bras Saúde Mater Infant.

; 8 (3): 299-308.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco

de referência de educação alimentar e nutricional para as

políticas públicas. Brasília, DF: A Secretaria, 2012. [Acesso em 22

mar 2018]. Disponível em:

[https://www.nestle.com.br/nestlenutrisaude/Conteudo/diretriz

/Marco_Referencia_de_Educacao_Nutricional_Alimentar.pdf].

Ramos FP, Santos LAS, Reis ABC. Educação alimentar e nutricional

em escolares: uma revisão de literatura. Cad. Saúde Pública.

; 29 (11): 2147-61.

Organização Mundial de Saúde. Global strategy on diet, physical

activity and health. Geneva: 2003. [Acesso em 08 jun 2017].

Disponível em:

[http://www.who.int/dietphysicalactivity/strategy/eb11344/strat

egy_english_web.pdf].

Kroth, JB & Fraga-Maia, HMS. Pressão arterial, perfil

antropométrico e demais fatores de risco cardiovascular em

escolares da rede pública. Rev Pesq em Fisio. 2015; 5 (3): 251-61.

Gaglianone CP, Taddei JAAC, ColugnatI FAB, Magalhães CG,

Davanço GM, Macedo Lino de, et al. Educação nutricional no

ensino público fundamental em São Paulo, Brasil: projeto

reeducação aos riscos de adoecer e morrer na maturidade. Rev

Nutr. 2006; 19 (3): 309-20.

Pérez-Rodrigo C & Aranceta J. School-based nutrition education:

lessons learned and new perspectives. Public Health Nutr. 2001;

(1): 31-9.

Pearson N, Biddle SJ, Gorely T. Family correlates of fruit and

vegetable consumption in children and adolescents: a systematic

review. Public Health Nutr. 2009; 12 (2): 267- 83.

Oliveira AM, Cerqueira EMM, Souza JS, Oliveira AC de. Sobrepeso

e obesidade infantil: influência de fatores biológicos e ambientais

em Feira de Santana, BA. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2003; 47

(2): 144-50.

Greves HM & Rivara FP. Report card on school snack food policies

among the United States' largest school districts in 2004-2005:

room for improvement. Int J Behav Nutr Phys Act. 2006; 3(1): 1-

Brasil. Ministério da Saúde. Guia Alimentar: Saiba como ter uma

alimentação saudável. [Monografia na internet] . Brasília:

Ministério da Saúde, [s.d.]. [Acesso em 07 jan 2017]. Disponível

em:

[http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=pu

blicacoes/guia_alimentar_bolso]

Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa

Nacional de Alimentação Escolar. PNAE. UNIFESP. 2010. [Acesso

em 28 jun 2017]. Disponível em:

[http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/5166-

manual-para-aplicação-dos-testes-de-aceitabilidade-no-pnae].

Universidade Federal de São Paulo. Centro Colaborador em

Alimentação e Nutrição; Universidade de Brasília. Centro

Colaborador em Alimentação e Nutrição. Manual para aplicação

dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de

Alimentação Escolar – PNAE. [Monografia na internet]. Santos,

SP: O Centro, 2010. [Acesso em 28 jun 2017]. Disponível em:

[http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/5166-

manual-para-aplicação-dos-testes-de-aceitabilidade-no-pnae].

Muniz VM & Carvalho AT. O Programa Nacional de Alimentação

Escolar em município do Estado da Paraíba: um estudo sob o olhar dos beneficiários do Programa. Rev Nutrição, Campinas.

; 3 (20): 285-96.

Branen L, Fletcher J. Comparison of college students' current

eating habits and recollections of their childhood food practices. J

Nutr Educ. 1999; 31(6): 304-10.

Oliveira SA, Ellison RC, Moore LL, Gillman MW, Garrahie EJ, Singer

MR. Parent child relationships in nutrient intake: the Framingham

Children's Study. Am J Clin Nutr. 1992; 56(3): 593-8.

Feitosa EPS, Dantas CAO, Wartha-Andrade ERS, Marcellini PS,

Mendes-Netto RS. Hábitos alimentares de estudantes de uma

universidade pública no nordeste, Brasil. Alim. Nutr., Araraquara.

; 1 (2): 225-30.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde.

Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a

população brasileira. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Costa EQ, Ribeiro VMB, Ribeiro ECO. Programa de alimentação

escolar: espaço de aprendizagem e produção de conhecimento.

Rev Nutr. 2001; 14(3): 225-9.

Kranz S, Findeis JL, Shrestha SS. Use of the Revised Children’s Diet

Quality Index to assess preschooler’s diet quality, its

sociodemographic predictors, and its association with body

weight status. J Pediatr. 2008; 84: 26-34.

Vasconcelos EM. Educação popular nos serviços de saúde. 2. ed.

São Paulo: HUCITEC, 1991.

Freire P. Educação e mudanças. 24. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Borges Kroth, K. (2018). Educação alimentar e nutricional para crianças, adolescentes e familiares em uma escola pública de Salvador, Bahia. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 9(2), 3-8. Recuperado de https://rasbran.com.br/rasbran/article/view/779
Seção
Temática