Descrição da qualidade microbiológica das fórmulas enterais e da água de um hospital particular de Fortaleza – Ceará

Semiramis Silva Santos

Resumo


As formulações enterais são importantes para a recuperação de pacientes internados em hospitais e que são impossibilitados de utilizar alimentação via oral. São compostas de macro e micronutrientes sendo, portanto, excelente meio para o crescimento de microorganismos. A contaminação das dietas enterais pode ocorrer em diversas etapas do processamento. Tal pesquisa teve por objetivo descrever a qualidade microbiológica de fórmulas enterais e água de um hospital particular de Fortaleza – Ceará no ano de 2011. O estudo foi descritivo, transversal e quantitativo e foi realizado em um hospital particular de Fortaleza-CE. De janeiro a dezembro de 2011 foram realizadas 41 análises de dietas enterais industrializadas, das quais 24,39% eram dietas em pó reconstituída no hospital e 75,61% eram dietas enterais industrializadas líquidas. Foram evidenciados alterações nos padrões microbiológicos de 4,87% da amostra, das quais 100% eram dietas enterais em pó. Também foram realizadas 12 análises microbiológicas da água mineral fervida utilizada para reconstituição das dietas enterais, sendo 8,33% encontrada fora do padrão microbiológico estabelecido pela legislação. O item referente ao uso de equipamentos de proteção individual (EPI’s) na lista de verificação para determinar conformidades e não conformidades relacionados com as condições higiênico-sanitárias para a produção das dietas também foi analisado, sendo encontrado 25% de não–conformidade. As análises microbiológicas realizadas neste estudo mostram que dietas prontas para uso são estéreis e, portanto mais seguras do que as dietas industrializadas em pó reconstituídas no hospital.

Palavras-chave


Dieta enteral, análise microbiológica, condições higiênico-sanitárias; NUTRIÇÃO ENTERAL; ALIMENTOS FORMULADOS; QUALIDADE DA ÁGUA; ANÁLISE MICROBIOLÓGICA

Texto completo:

PDF

Referências


Brasília. Resolução RDC nº 63: Aprova regulamento técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para terapia de nutrição enteral, 6 de julho de 2000. Diário oficial da república federativa do Brasil de Brasília.

Montemerlo H, et al. Nutrición enteral: reducción del riesgo de contaminación. Nutr hosp. 1996; 11: 102-7.

Waitzberg DL. Nutrição oral, enteral e parenteral na prática clínica. 3ª ed. São Paulo: Atheneu; 2001. p. 1858.

Carvalho Filho EV, et al. Monitoramento fisíco-químico e microbiológica de dietas enterais em unidade hospitalar pública da região nordeste do brasil. Alim. Nutr. 2000; 19(2): 145-51.

Costa Lima AR, et al. Avaliação microbiológica de dietas enterais manipuladas em um hospital. Acta Cirúrgica Brasileira. 2005; 20(1).

Okuma T, et al. Microbial contamination of enteral feeding formulas and diarrhea. Nutrition. 2000; 16(9): 719-22.

Patchell CJ, et al. Reducting bacterial contamination of enteral feeds. Arch dis child. 1998; 78(2): 166-8.

Muniz CK. Análise de perigos e pontos críticos de controle em dietas enterais manipuladas em um hospital universitário público do Brasil, 2005. Dissertação apresentada ao colegiado do programa de Pós – graduação em imunologia e parasitologia. Uberlândia, Minas Gerais, 2005.

Graeml FR. Indicadores estratégicos: ferramenta de auxílio na administração municipal. [Internet]. Florianópolis, maio de 2000. Disponível em:

Arouck CLC, Lima JB. Monitoramento da qualidade microbiológica de dietas enterais industrializada produzidas em um serviço hospitalar de nutrição. Revista Nutrição em Pauta. 2011.

Sardinha CH. Controle microbiológico de dietas enterais em uma clínica privada de manipulação de dietas enterais em campos dos goytacazes, RJ. Nutrimed. 2011.

Oliveira MH, et al. Microbiological quality of reconstituted enteral formulations used in hospitals. Nutrition. 2000; 16(9): 722-33.

Mauricio AA. Verificação das boas práticas de preparação e análise microbiológica de dieta enteral em serviço de nutrição e dietética de hospital privado. Acta Sci. Health Sci. Maringá. 2005; 27 (2): 157-61.

Kessler FP, et al. Avaliação microbiológica de dietas enterais artesanais utilizadas no hospital Antônio Pedro. Rev Bras Nutr Clin. 2000; 15(4): 426-35.

Santos BHC, et al. Manipuladores como causas potenciais de contaminação microbiana de alimento enteral. Infarma. 2004; 15(11-12).

Maia-furlaneto L, Pangoni G. Avaliação microbiológica de preparações artesanais de dietas enteral em uma unidade de alimentação e nutrição. Unopar Cient. 2009; 11(1): 27-30.

Kreep AC, et al. Análise microbiológica das mãos dos manipuladores envolvidos no preparo de dietas enterais do hospital escola de Itajubá-MG. Nutrição em pauta. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN