Emprego do índice glicêmico e carga glicêmica dos alimentos : uma alternativa nas dietas de pacientes com doenças crônicas ?

Viviane Barroso do Nascimento

Resumo


A prevalência de doenças crônicas tem aumentado em todo o mundo nos últimos anos, e inicia uma série de alterações metabólicas de agravamento da saúde humana. As avaliações sobre comportamento alimentar, da população em geral, indicam maior consumo de carboidratos. Foi realizada revisão de literatura nas bases de dados Scielo (SciELO - Scientific Electronic Library Online) e Pubmed (National Library of Medicine, EUA), em periódicos nacionais e internacionais, entre 2006 e 2010, mediante as palavras-chave índice glicêmico, carga glicêmica, dietas, síndrome metabólica, obesidade, resistência a insulina, dislipidemia e diabetes. O presente estudo trata de uma revisão narrativa cujo objetivo foi avaliar a utilização do índice glicêmico (IG) e da carga glicêmica (CG) dos alimentos, como possível alternativa nas dietas de pacientes com doenças crônicas. Com as evidências científicas analisadas, evidenciou-se que a maioria dos estudos que apontam efeitos positivos do IG e CG, tem limitações metodológicas. Estudos bem estruturados não observaram benefícios do IG e CG sobre todas as doenças crônicas, com menos controvérsias para o tratamento do diabetes mellitus. A valorização do padrão global da dieta, para intensificar os efeitos do IG e CG, foi destacada em muitos trabalhos. Perduram as limitações para o uso do IG e CG na prática clínica, e considera-se necessário que futuros estudos possam enfatizar os outros nutrientes existentes nos alimentos fontes de carboidratos.

Palavras-chave


Índice Glicêmico, Carga Glicêmica, Síndrome Metabólica, Diabetes Mellitus, Obesidade, Dieta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN