Comportamento de risco para transtorno alimentar em universitárias de Viçosa-MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47320/rasbran.2021.1302

Palavras-chave:

anorexia nervosa, fatores de risco, estudantes

Resumo

Objetivo: avaliar comportamento alimentar de risco para o desenvolvimento de transtorno alimentar em acadêmicas de uma instituição do município de Viçosa-MG. Métodos: estudo transversal realizado com 104 universitárias com idade igual ou superior a 18 anos, matriculadas no primeiro período. Foram coletados dados deidade, área de conhecimento, curso, antropometria e composição corporal e aplicado o Teste de Atitudes Alimentares (EAT-26). Além da realização da análise descritiva dos dados, utilizou-se o Teste Kolmogorov-Smirnov, o Teste U de Mann- Whitney, o Teste Qui-Quadrado e o Coeficiente de Spearman. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal de Viçosa e todas as estudantes assinaram o Termo de Consentimento. Resultados: A prevalência de triagem positiva para anorexia nervosa (EAT+) foi de 21,2% (n=22). Verificou-se que 76% (n=79) das participantes foram classificadas como eutróficas pelo índice de Massa Corporal (IMC). Houve associação entre o risco cardiometabólico (pela relação cintura-estatura – RCE) e EAT+ (p=0,023). Observou-se que o grupo EAT+ se difere do EAT- para IMC (p=0,005) e perímetro da cintura (p=0,022); e o grupo Nutrição se difere dos outros para IMC (p=0,010) e RCE (p=0,013). Não se obteve diferença para a prevalência de EAT+ nas diferentes áreas. Conclusão: A elevada prevalência de EAT+ observada nas universitárias é fator preocupante para a saúde física e psíquica, necessitando de políticas de saúde para prevenção de transtornos alimentares de forma efetiva.

Palavras-chave: Anorexia Nervosa. Fatores de Risco. Estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jessica Aparecida Silva, Universidade Federal de Viçosa

Nutricionista pela Universidade Federal de Viçosa.

Silvia Oliveira Lopes

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Nutrição da Universidade Federal de Viçosa.

Roberta Stofeles Cecon

Doutora em Ciência da Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa, Professora Adjunta Nível 1 da Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Silvia Eloiza Priore

Doutora em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo. Professora do Departamento de Nutrição e Saúde da Universidade Federal de Viçosa.

Referências

Garcia CA, Castro TG, Soares RM. Comportamento alimentar e imagem corporal entre estudantes de Nutrição de uma universidade pública de Porto Alegre-RS. Clin. Biomed. Res. 2010; 30(3).

Penz LR, Bosco SM, Vieira JM. Risco para desenvolvimento de transtornos alimentares em estudantes de Nutrição, Scientia Med. 2008; 18(3): 124-8.

Bucaretchi HA. Anorexia e bulimia nervosa: uma visão multidisciplinar. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2003.

Alvarenga MS, Scagliusi FB, Philippi ST. Comportamento de risco para transtorno alimentar em universitárias brasileiras. Rev. psiquiatr. clín. 2011; 38(1): 3-7.

Garcia LA, Milagres OG, Mourão L, Assis M, Palma A. Auto-percepção da imagem corporal em estudantes de Educação Física e Medicina. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. 2011; 16(1): 25-30.

American Psychiatric Association (APA). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5. ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Fiates GMR, Salles RK. Fatores de risco para o desenvolvimento de distúrbios alimentares: um estudo em universitárias. Rev. Nutr. Campinas. 2001; 14(3): 3-6.

Alves E, Vasconcelos FAG, Calvo MCM, Neves J. Prevalência de sintomas de anorexia nervosa e insatisfação com a imagem corporal em adolescentes do sexo feminino do Município de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2008; 24(3): 503-12.

Pires R, Pinto P, Santos G, Santos S, Zraik H, Torres L, et al. Rastreamento da frequência de comportamentos sugestivos de transtornos alimentares na Universidade Positivo. Revista de Medicina. 2010; 89(2): 115-23.

Kirsten VR, Fratton F, Porta NB. D. Transtornos alimentares em alunas de nutrição do Rio Grande do Sul. Rev Nutr., Campinas. 2009; 22(2): 219-27.

Laus MF, Moreira RCM, Costa TMB. Diferenças na percepção da imagem corporal, no comportamento alimentar e no estado nutricional de universitárias das áreas de saúde e humanas. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul. 2009; 31(3): 192-6.

Miot HA. Tamanho da amostra em estudos clínicos e experimentais. J. Vasc. Bras. 2011; 10(4): 275-8.

Reinstein N, Koszewski WM, Chamberlin B, Smith-Johnson C. Prevalence of eating disorders among dietetics students: does nutrition education make a difference? J Am Diet Assoc. 1992; 92(8): 949-53.

Abeso. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade (2016). 4.ed. São Paulo: ABESO; 2016.

World Health Organization (WHO). Growth reference data for 5-19 years Genebra: WHO; 2007.

World Health Organization (WHO). Physical Status: the use and interpretation of anthropometry. Genebra: WHO; 1995.

Lohman T. Advances in body composition assessment: current issues in exercise science. Human Kinects; 1992. 57-63.

Bighetti F, Santos CB, Santos JE, Ribeiro RPP. Tradução e validação do Eating Attitudes Test em adolescentes do sexo feminino de Ribeirão Preto, São Paulo. J. bras. psiquiatr. 2004; 53(6): 339-46.

Bighetti F. Tradução e validação do Eating Attitudes Test em adolescentes do sexo feminino na cidade de Ribeirão Preto-SP. 2003. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, 2003.

Magalhães VC, Mendonça GAS. Transtornos alimentares em universitárias: estudo de confiabilidade da versão brasileira de questionários autopreenchíveis. Rev. bras. epidemiol., São Paulo. 2005; 8(3): 236-45.

Cecon, RE. Fatores de risco para doenças cardiovasculares em adolescentes com triagem positiva para transtornos alimentares, de Viçosa – MG. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa – UFV, 2011.

Cunha, LCN. Anorexia, bulimia e compulsão alimentar. São Paulo: Atheneu; 2008.

Bosi MLM, Luiz RR, Morgado CMC, Costa MLD, Carvalho RJ. Autopercepção da imagem corporal entre estudantes de nutrição: um estudo no município do Rio de Janeiro. J. bras. psquiatr., Rio de Janeiro. 2006; 55(2): 108-13.

Melin P, Araújo AM. Transtornos alimentares em homens: um desafio diagnóstico. Rev. Bras. Psiquiatr. 2002; 24(Supl. 3): 73-6.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Silva, J. A., Lopes, S. O., Cecon, R. S., & Priore, S. E. (2021). Comportamento de risco para transtorno alimentar em universitárias de Viçosa-MG. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 12(2), 119–132. https://doi.org/10.47320/rasbran.2021.1302

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)