Elaboração e análise sensorial de preparações a partir do aproveitamento integral de alimentos

Alice Aparecida Oliveira Luiz, Milena Bernardes Santos, Eveline Monteiro Azeredo

Resumo


Objetivo: desenvolver e avaliar a aceitação de preparações com aproveitamento integral de alimentos com crianças em idade escolar. Métodos: o estudo é de caráter transversal, do tipo quantitativo, no qual foram desenvolvidas quatro preparações com aproveitamento integral dos alimentos mais comumente utilizados na alimentação escolar, sendo elas: bolo de laranja, farofa de talos, biscoito de banana e pão de couve e cenoura. Foi realizada análise sensorial das preparações, em uma escola publica do município de Alfenas-MG, com crianças de 7 a 10 anos, de ambos os sexos. Para a análise foi utilizada a Escala Hedônica de Expressão Facial de cinco pontos. Para avaliação da aceitabilidade foi utilizado o teste de médias e desvio padrão.  Para verificação da interferência do sexo e da idade na aceitação foi realizado análise de regressão de distribuição de quasi-Poisson. Resultados: participaram do estudo 121 crianças, sendo a idade mais frequente 9,88 anos. A maior parte da amostra era do sexo feminino (57,02%), entretanto não houve diferença significativa, apresentando normalidade entre os sexos. Todas as preparações obtiveram alta aceitabilidade, sendo a média superior a 4 na escala hedônica e igualmente aceitas pelas crianças, segundo o teste t para o bolo, a farofa e o pão. Somente o biscoito de banana obteve diferença significativa (p<0,05) e média inferior a 4. A idade apresentou relação inversamente proporcional na escolha da farofa, bolo e biscoito, sendo, portanto, melhor aceito nas crianças de menor idade. Já o sexo interfere somente na preferência pelo bolo, possuindo maior aceitabilidade entre as crianças do sexo masculino. Conclusão: as preparações elaboradas apresentaram alta aceitabilidade entre as crianças de ambos os sexos, demonstrando que a inclusão do aproveitamento integral na alimentação do escolar é viável.

Palavras-chave


Aproveitamento Integral, Desperdício, Análise Sensorial

Texto completo:

PDF

Referências


Food and Agriculture Organization of the United Nations. Global Food Losses and Waste. Extent, Causes and Prevention, 2011.

Santos MHO. Desperdício de alimentos e sua interferência no meio ambiente. Instituto Construir e Conhecer. Goiânia, 2008; (5).

Vieira LM, Araújo GP, Carvalho ICS. Desafios para reduzir o desperdício. Agroanalysis – FGV. 2018 out.:30-31.

Damiani C, Silva FA, Rodovalho EC, Becker FS, Asquieri ER, Oliveira RA, et al. Aproveitamento de resíduos vegetais para produção de farofa temperada. Alim. Nutr. 2011 out/dez; 22(4):657-662.

Gondim JAM, Moura M de FV, Dantas AS, Medeiros RLS, Santos KM. Composição centesimal e de minerais em cascas de frutas. Ciênc Tecnol Aliment. 2005 out/dez; 25(4):825-827.

Rocha SA, GPP, Lima GPP, Lopes AM, Borguini MG, Ciccone VR, Beluta I. Fibras e lipídios em alimentos vegetais oriundos do cultivo orgânico e convencional. Revista Simbio-Logias. 2008; 1(2):1-9.

Souza PDJ, Novello D, Almeida JM, Quintiliano DA. Sensory and nutritional analysis of savory pie made with vegetable stems and peels as alternative ingredients. Alim Nutr. 2007; 18(1):55-56.

Ramos FP, Santos LAS, Reis ABC. Educação alimentar e nutricional em escolares: uma revisão de literatura. Cad. Saúde Pública. 2013 nov; 29(11):2147-2216.

SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação: alimentação do lactente, alimentação do pré-escolar, alimentação do escolar, alimentação do adolescente, alimentação na escola. 3ª ed. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Pediatria, 2012.

Conceição SIO, Santos CJN, Silva AAM, Silva JS, Oliveira TC. Consumo alimentar de escolares das redes pública e privada de ensino em São Luís, Maranhão. Rev. Nutr. 2010 nov/dez; 23(6):993-1004.

Aires AP, Botega AO, Pedron F, Pinto G, Ramos N, Pereira P, et al. Perfil Nutricional de alunos em escola pública. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde. 2009; 10(1):77-86.

Silva Junior EA. Manual de controle higiênico-sanitário em alimentos. 5ª ed. São Paulo: Varela, 2002.

CECANE - Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar. Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. UNIFESP, 2010.

R CORE TEAM. R: A language and enviroment for statistical computing Vienna R Foundation for Statiscal Computing, 2017. Disponível em http://www.r-project.org/

Bickel DR, Fruehwirth R. On a Fast, Robust Estimator of the Mode: Comparisons to Other Robust Estimators with Applications. Computational Statistics and Data Analysis, 2006; 50(12):3500-3530.

Davison AC, Hinkley DV. Bootstrap Methods and Their Application. Cambridge University Press, 1997.

Perera R, Heneghan C, Badenoch D. Ferramentas estatísticas no contexto clínico. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Oliveira MS, Berzoti E, Vilas Boas FL, Nogueira DA, Nicolau LA, Oliveira HSS. Introdução à Estatística. 2a ed. Lavras: Ufla, 2014.

Paula GA. Modelos de regressão com apoio computacional. São Paulo: Instituto de Matemática e Estatística Universidade de São Paulo, 2013.

19 Daniel BI, Ghisleni CP. Desenvolvimento de um produto alimentício com aproveitamento integral do alimento. RASBRAN. 2016 jul/dez; 7(2):43-49.

Aquino ACMS, Móes RS, Leão KMM, Figueiredo AVD, Castro AA. Avaliação físico-química e aceitação sensorial de biscoitos tipo cookies elaborados com farinha de resíduos de acerola. Rev Inst Adolfo Lutz. 2010; 69(3):379-86

Vieira LS, Vieira CR, Faria T, Azeredo EMC. Aproveitamento integral de alimentos: desenvolvimento de bolos de banana destinados à alimentação escolar. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. 2013 jan/jul; 11(1):185-194.

Carvalho CC, Basso C. Aproveitamento integral dos alimentos em escola pública no município de Santa Maria – RS. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde. 2016; 17(1):63-72.

Garcia AI, Fajardo S, Fachinello LC, Candido CJ, Santos EF, Novello D. Adição de talos e folhas de vegetais em torta salgada integral: composição físico-química e aceitação sensorial entre crianças. Rev UNIABEU. 2015 set/dez; 8(20):269-281.

Storck CR, Nunes GL, Oliveira BB, Basso C. Folhas, talos, cascas e sementes de vegetais: composição nutricional, aproveitamento na alimentação e análise sensorial de preparações. Ciência Rural. 2014 mar; 43(3):537-543.

Melo CMT, Faria JV. Composição centesimal, compostos fenólicos e atividade antioxidante em partes comestíveis não convencionais de seis olerícolas. Biosci J. 2014 jan/fev; 30(1):93-100.

Callou KRA, Silva MCF. Biodisponibilidade de Micronutrientes e Compostos Bioativos: Aspectos Atuais. Revista Eletrônica: Estácio Recife. 2016 jul; 1(1).

Oliveira LF de, Nascimento MRF, Borges SV, Ribeiro PC do N, Ruback VR. Aproveitamento alternativo da casca do maracujá amarelo. Ciênc. Tecnol. Aliment. 2002; 22(3):259-262.

Bourn MD, Prescott J. A comparison of the nutritional value, sensory qualities and food safety of organically and conventionally produced foods. Sci. Nutr. 2002; 42(1):1-34.

Borguini RG, Mattos FL. Análise do consumo de alimentos orgânicos no Brasil. In: XL Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural. Passo Fundo, RS, jun. 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN