Avaliação do conhecimento nutricional e de hábitos alimentares de pacientes com doenças crônicas não transmissíveis em hospital particular no sul do Brasil

Raquel Eccel Prates, Ana Carolina Pio da Silva

Resumo


Introdução: A demanda por orientação alimentar tem crescido significativamente, em face do diagnóstico precoce das doenças crônicas e do reconhecimento da influência da alimentação e do sobrepeso sobre elas. A conscientização da população de que educação nutricional e bons hábitos alimentares são fundamentais para manter o controle de doenças crônicas é muito importante. Objetivos: Avaliar o conhecimento nutricional e os hábitos alimentares de uma amostra de adultos com doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), internados em um hospital particular no sul do Brasil. Métodos: Estudo de delineamento transversal em quarenta pacientes com DCNT, internados em uma unidade de cardiologia de um hospital particular. Foram aplicados dois questionários, um deles o Questionário de Frequência Alimentar (QFA) semiquantitativo, para avaliar o conhecimento nutricional dos pacientes, classificando seu conhecimento como alto, moderado e baixo. Para isso, foi utilizado o Questionário de Conhecimento Nutricional (QCN). Dos prontuários foram coletados dados como glicemia, níveis de pressão arterial e doenças atuais. Foram realizadas medidas antropométricas de peso e estatura para cálculo do índice de massa corporal (IMC) e medidas da circunferência da cintura (CC). Resultados: A idade média dos pacientes avaliados era de 75,7±13,3 anos, a maioria era do sexo feminino (60%). Dos pacientes, 48,7% estavam acima do peso, sendo que as mulheres apresentaram maior prevalência de obesidade (17,4%) e CC elevada (82,4% p<0,001). O conhecimento nutricional da amostra foi predominante na categoria moderado (86,2%), sendo os pacientes com idade <70 anos com maior conhecimento (p<0,001). No consumo alimentar prevaleceram os carboidratos refinados, como pão branco (60%) e arroz branco (50%) e alto consumo de frutas (95%) e carne bovina (62,5%). Conclusão: O moderado conhecimento nutricional mostrou-se relevante em relação ao excesso de peso, uma vez que os pacientes incluem na dieta habitual o consumo de frutas e verduras, mas mantêm entre os hábitos alimentares o consumo de alimentos ricos em açúcares e gorduras.

Palavras-chave


Conhecimento nutricional;Doenças crônicas não transmissíveis;Obesidade;Hábitos alimentares

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN