Estado nutricional de participantes de um Centro de Atividades para Idosos em Colombo, PR

Ivanilda Souza Nogueira, Thais Regina Mezzomo

Resumo


Objetivo: o objetivo desse estudo foi avaliar o estado nutricional de idosos participantes de um Centro de Atividades para Idosos (CATI) em Colombo, PR. Métodos: Estudo observacional transversal, com idosos com idade igual ou superior a 60 anos, de ambos os sexos, participantes ativos de um CATI em Colombo, PR. A avaliação do estado nutricional foi realizada por meio da Mini Avaliação Nutricional (MAN) completa. Perguntas sobre idade, comorbidades atuais, satisfação com os relacionamentos sociais, considerações sobre a saúde foram realizadas. Resultados: Observou-se alta frequência de hipertensão arterial na população estudada, bem como, adequado estado nutricional segundo a MAN. Entretanto, avaliações antropométricas isoladas de circunferência do braço e do Índice de Massa Corporal, itens partícipes da MAN, demonstraram importante percentual de idosos com sobrepeso e com desnutrição. Elevada satisfação com os relacionamentos sociais e sobre a saúde individual foram notadas. Conclusão: A participação ativa dos idosos em CATI pode contribuir para o bom estado nutricional, pois os mesmos estimulam vários aspectos de saúde direta e indiretamente, que contribuem para a melhoria da qualidade de vida.

Palavras-chave


Assistência a idosos; avaliação nutricional; desnutrição; AVALIAÇÃO NUTRICIONAL; IDOSO, FEMININO; ASSISTÊNCIA A IDOSOS; COLÔMBIA

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD. Brasília, 2010.

Brasil. Estatuto do idoso: Lei federal nº10741, de 01 de outubro de 2003. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

Mendes MRSSB, Gusmão JL, Faro ACM, Leite RCBO. A situação social do idoso no Brasil: uma breve consideração. Acta Paul. Enferm. 2005; 18(4):422-6.

Veras R. Envelhecimento Populacional Contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev. Saúde Pública. 2009; 43(3):548-54.

Spinelli RB, Zanardo VPS, Schneider RH. Avaliação nutricional pela miniavaliação nutricional de idosos independentes institucionalizados e não institucionalizados em uma cidade da região Norte do Rio Grande do Sul. RBCEH. 2010; 7(Suppl. 1):47-57.

Bezerra JD, Dantas MAM, Vale SHL, Dantas MMG, Leite LD. Aplicação de instrumentos de triagem nutricional em hospital geral: um estudo comparativo. Rev Bras Ciên Saúde. 2012; 5(1):9-15.

Garcia ANM, Romani SAM, Lira PIC. Indicadores antropométricos na avaliação nutricional de idosos: um estudo comparativo. Rev. Nutr. 2007; 20(4):371-8.

Azevedo LC, Fenelli M, Neves L, Almeida CB, Farias MB, Breitkopf T, et al. Principais fatores da mini avaliação nutricional associada a alterações nutricionais de idosos hospitalizados. Arq Catarin Med. 2007; 36(3):7-14.

Segalla R, Spinelli R. Análise nutricional para realizar atenção a idosos de uma instituição de longa permanência, no município de Erechim-RS. Vivencias. 2012; 8(14): 72-85.

Guigoz Y, Vellas B, Garry, PJ. Mini Nutritional Assessment (MNA): Research and Practice in the elderly. Nestle nutrition workshop series Clinical & Performance Programme. 1999.

Colembergue JP, Conde SR. Uso da Miniavaliação Nutricional em idosos institucionalizados. Sci Med. 2011; 21(2):59-63.

Paraná. Centro de Atividades para Idosos. Curitiba; [Cited 2015 December 1]. Available from: http://www.curitiba.pr.gov.br/servicos/cidadao/equipamento/cati-boa-vista-centro-de-atividades-para-idosos/69.

Rizzolli D, Surdi AC. Percepção dos idosos sobre o grupo de terceira idade. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2010; 13(2):225-33.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília, 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde. Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN, Brasília, 2011.

Cuppari L. Guia de nutrição: nutrição clínica no adulto. Barueri: Manole, 2002.

Blackburn GL, Thorton PA. Nutritional assessment of the hospitalized patients. Med. Clin North Am. 1979, 63:1103-1115.

Sociedade de Geriatria e Gerontologia: I Consenso Brasileiro de Nutrição e Disfagia em Idosos Hospitalizados. Barueri: Minha Editora, 2011.

Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Hipertensão, Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010; 95(1 supl.1): 1-51.

Rauen MS, Moreira EAM, Calvo MCM, Lobo AS. Avaliação do estado nutricional de idosos institucionalizados. Rev. Nutr. 2008; 21(3):303-310.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos Familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. [Internet]. 2010. [Acesso em 2015 set 2]. Disponível em URL: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2008_2009_encaa/pof_20082009_encaa.pdf.

Gallon CW, Wender MCO. Estado nutricional e qualidade de vida da mulher climatérica. Rev Bras Ginecol Obstet 2012; 34(4):175-83.

Silva TAA, Junior F, Pinheiro MM, Szejnfeld VL. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev Bras Reumatol. 2006; 46(6):391-397.

Macedo C, Gazzola JM, Najas M. Síndrome da fragilidade do idoso: importância da fisioterapia. RBCS. 2008;33(3):177-84.

Leite-Cavalcanti C, Rodrigues-Gonçalves MC, Rios-Asciutti LS, Leite-Cavalcanti A. Prevalência de doenças crônicas e estado nutricional em um grupo de idosos brasileiros. Rev salud pública. 2009; 11(6):865-877.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN