Hiperuricemia e Hiperinsulinemia como Determinantes da Hiperhomocisteinemia em Indivíduos com Síndrome Metabólica

  • Sofia Kimi Uehara UFRJ
  • Glorimar Rosa UFRJ
Palavras-chave: síndrome metabólica, HIPER-HOMOCISTEINEMIA, hiperinsulinemia e hiperuricemia, HIPERINSULINISMO, MULHERES, HOMENS, ADULTO, MEIA-IDADE, ANTROPOMETRIA, ESTUDOS TRANSVERSAIS

Resumo

Dados brasileiros sobre a homocisteinemia e seus determinantes em indivíduos com síndrome metabólica (SM)são inexistentes. Objetivou-se avaliar as concentraçõesplasmáticas de homocisteína (hcy) e sua relação com o sexo, idade, tabagismo, pressão arterial, resistência à insulina (RI), dados antropométricos (índice de massa corporal, circunferência da cintura e gordura corporal), bioquímicos (folato plasmático – FP, cobalamina plasmática - CP, folato em eritrócitos - FE, insulinemia, glicemia, uricemia e perfil lipídico), dietéticos (ingestão de folato, cobalamina, piridoxina, bebidas alcoólicas e café) e genéticos (polimorfismo C677T no gene metilenotetrahidrofolato redutase - MTHFR) em 63 indivíduos com SM. Os índices de glicemia, uricemia e perfil lipídico foram determinados por material e método enzimático-colorimétrico e FP, CP e FE, por diluição de radioisótopos. Insulinemia foi avaliada por radioimunoensaio e a homocisteinemia, por cromatografia líquida de alta eficiência. Avaliou-se a RI pelo HOMA. Extraiu-se o DNA com a resina de Chelex. Avaliou-se o polimorfismo C677T no gene MTHFR através da reação em cadeia da polimerase e digestão enzimática. A estatística contemplou os testes t de Student, χ2 e o cálculo do coeficiente de contingência (C) e do Odds Ratio (OR). Valores de p< 0,05 foram considerados significativos. No estudo, 39 (62%) e 24 (38%) eram dos sexos feminino e masculino, respectivamente. Os homens apresentaram trigliceridemia, insulinemia e valores de HOMA maiores do que as mulheres. RI (HOMA> 2,71) foi observada em 51,6% (n = 32) dos indivíduos, sendo 18 mulheres e 14 homens. Não houve diferença entre os sexos quanto à homocisteinemia. A frequência de Hhcy (hcy> 10μmol/L) foi de 49,2% (n = 31), sendo 18 mulheres e 13 homens. Dentre as variáveis investigadas, apenas a uricemia (C = 0,67, χ2 = 2,23, p = 0,27) e insulinemia (C= 0,86, χ2 = 2,98, p = 0,07) correlacionaram-se positivamente com a Hhcy. No grupo, 33% (n = 21) apresentaram o polimorfismo C677T, sendo 19 heterozigotos e 2 homozigotos polimórficos. Não verificamos relação entre a homocisteinemia e o polimorfismo C677T (OR = 1,7; IC95% = 0,6 - 4,9). Em indivíduos com SM, a Hhcy esteve associada com a uricemia e insulinemia aumentadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-12-03
Como Citar
Uehara, S. K., & Rosa, G. (2013). Hiperuricemia e Hiperinsulinemia como Determinantes da Hiperhomocisteinemia em Indivíduos com Síndrome Metabólica. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 2(1), 15-21. Recuperado de https://rasbran.com.br/rasbran/article/view/56
Edição
Seção
Artigos Originais