A contação de histórias como ferramenta para ações de Educação Alimentar e Nutricional no âmbito da Educação Infantil

Keicy Priscila Maciel Vieira, Fernanda Pereira de Souza, Michelle Cristine Medeiros Jacob

Resumo


O objetivo deste trabalho foi desenvolver e avaliar intervenções de Educação Alimentar e Nutricional (EAN), que utilizaram a contação de histórias como estratégia de Promoção da Alimentação Adequada e Saudável (PAAS), junto a crianças e professores da Educação Infantil no município de Cuité, Paraíba, Brasil. Tratou-se de um estudo de Pesquisa-Ação, que contemplou três fases: planejamento, execução e avaliação das ações. O planejamento e execução seguiram o modelo da pedagogia de projetos. No caso dos alunos, as avaliações foram feitas com base em escala adaptada para fins educativos, e no caso dos professores foi elaborado um instrumento com questões fechadas. Foram realizadas nove intervenções. O projeto avaliou 114 crianças e sete professores. Dentre as crianças, 95% consideraram as intervenções satisfatórias. Na opinião dos professores, a qualidade das intervenções e a contribuição dessas para a PAAS obteve 100% de avaliações positivas. O trabalho com contação de histórias mostrou-se como uma ferramenta eficaz no desenvolvimento de ações de EAN. A multiplicação de estudos sobre contação de histórias como estratégia de PAAS pode auxiliar no fortalecimento da EAN na Educação Infantil.


Palavras-chave


educação em saúde; metodologias ativas; hábitos alimentares.

Texto completo:

PDF

Referências


Haigh C, Hardy P. Tell me a story - a conceptual exploration of storytelling in healthcare education. Nurse Educ Today. 2011; 31(4): 408–11.

Banks J. Storytelling to access social context and advance health equity research. Prev Med (Baltim) [Internet]. 2012; 55(5): 394–7. Disponível em: http://ezproxy.lib.ucalgary.ca/login?url=http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=rzh&AN=2011738173&site=ehost-live

Swanson E, Vaughn S, Wanzek J, Petscher Y, Heckert J, Cavanaugh C, et al. A synthesis of read-aloud interventions on early reading outcomes among preschool through third graders at risk for reading difficulties. J Learn Disabil. 2011; 44(3): 258–75.

D’Onise K, Lynch JW, Sawyer MG, McDermott RA. Can preschool improve child health outcomes? A systematic review. Soc Sci Med [Internet]. 70(9):1423–40. Disponível em: http://www.scopus.com/inward/record.url?eid=2-s2.0-77950947567&partnerID=40&md5=d574df6e736da3173c03f5cfc7c14978

Sousa L, Jacob M, Palmeira P, Pessoa V. Tá na mesa: comunicação em Nutrição para inclusão social. Natal: Aliá Editora; 2017.

Mitre SM, Siqueira-Batista R, Girardi-de-Mendonça JM, Morais-Pinto NM de, Meirelles C de AB, Pinto-Porto C, et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Cien Saude Colet [Internet]. 2008;13(supl 2):2133–44. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000900018&lng=pt&tlng=pt

Freire P. Pedagogia da Autonomia [Internet]. Editora Paz e Terra. 1997. 92 p. Disponível em: http://scholar.google.com/scholar?hl=en&btnG=Search&q=intitle:Saberes+Necess?rios+?+Pr?tica+Educativa#0

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. Brasília: MDS, 2012.

Maia ER, Junior JFL, Pereira J dos S, Eloi A de C, Gomes C das C, Nobre MMF. Validação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na promoção da saúde alimentar infantil. Rev Nutr. 2012; 25(1): 79–88.

Medeiros M, Pessoa V. Repasto Literário: Promoção da alimentação saudável e contação de histórias. Natal, RN: Aliá; 2015.

Aquilla R. A educação alimentar e nutricional no espaço escolar: saber, sabor e saúde. Ijuí, RS. Dissertação [Mestrado em Educação nas Ciências] – Universidade Regional do Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul; 2011

Pinto V. A importância da utilização da pedagogia de projetos em educação nutricional na atenção básica: a reflexividade como idéia e como ação. In: Guedes AE, editor. As ações de Nutrição na Atenção à Saúde. Natal: EDUFRN; 2010.

Gomes, Emerson de Oliveira; Santos, Ricardo Lima; Barbosa E da S. A Arte de Contar Histórias: uma estratégia para humanização na saúde. Rev Interfaces da Saude [Internet]. 2014;1:30–8. Disponível em: http://www.fvj.br/revista/wp-content/uploads/2014/11/Interfaces3.pdf

Franco MAS. Pedagogia da pesquisa-ação. Educ e Pesqui [Internet]. 2005;31(3):483–502. Disponível from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022005000300011&lng=pt&tlng=pt

Thiollent M. Metodologia da pesquisa-ação. 2011. 136 p.

Santos JLB, Palmeira PDA, Cardoso VVBP, Frazão MF. Estado Nutricional, Sinais Clínicos De Carências Nutricionais E Vulnerabilidade Social Entre Crianças Do Semiárido Paraibano. DEMETRA [Internet]. 2016; 11(4): 1031–48. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/demetra/article/view/20064

Mauthner M. Methodological Aspects of Collecting Data from Children: Lessons from Three Research Projects. 1997; 11: 16–28.

Silveira AF da, Ataíde ARP de, Freire ML de F. Atividades lúdicas no ensino de ciências: uma adaptação metodológica através do teatro para comunicar a ciência a todos. Educ em Rev [Internet]. 2009;(34):251–62. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602009000200016&lng=en&nrm=iso&tlng=pt%0Ahttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602009000200016&lng=pt&tlng=pt

Cueva M, Kuhnley R, Lanier A, Dignan M, Revels L, Schoenberg NE, et al. Promoting Culturally Respectful Cancer Education Through Digital Storytelling. Int J Indig Heal [Internet]. 2016;11(1):34. Disponível em: https://journals.uvic.ca/index.php/ijih/article/view/16013

Sampaio M. Leitura e contação de histórias na Educação Infantil: um estudo sob a perspectiva da Teoria Histórico-Cultural. Marília, SP: Universidade Estadual Paulista; 2016.

Pires OS. Contribuições do ato de contar histórias na Educação Infantil para a formação do futuro leitor. Maringa, PR. Monografia [Graduação em Pedagogia] - Universidade Estadual de Maringá; 2011.

Martins PD. Contação de histórias como recurso facilitador do desenvolvimento do juízo moral de crianças da educação infantil. Bauru, SP. Dissertação [Mestrado em Docência para Educação Básica] – Universidade Estadual Paulista; 2016.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas. Brasília: MDS, 2012b. [Acesso em 20 set 2016]. Disponível em: .

Wright C, Diener ML, Kemp JL. Storytelling Dramas as a Community Building Activity in an Early Childhood Classroom. EBSCOhost 2010 Aug. Disponível em: http://web.a.ebscohost.com/ehost/pdfviewer/pdfviewer?sid=a239411e-2b81-44d3-b2cc-c3193c028c3a%40sessionmgr4005&vid=1&hid=4212

Medeiros M. Como você aprendeu a cozinhar? Reflexões sobre a transmissão intergeracional do conhecimento culinário entre mulheres. In: Anais do IV Congresso Internacional de Pesquisa (Auto)Biográfica; 2010 jul. 26-29; São Paulo, Brasil. São Paulo: Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica; 2010.

Brasil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Departamento de Política da Educação Fundamental. Coordenação Geral de Educação Infantil. Referenciais Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF; 1998.

Braga GC, Kantorski LP, Coimbra VCC, Willrich JQ. Crianças e o conhecimento de si próprias a partir de histórias infantis. Rev Enferm da UFSM [Internet]. 2015;5(2):327–38. Disponível em: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/reufsm/article/view/14678

Souza A, Vieira K, Santos R, Thomas R, Jacob M. Repasto literário: a contação de histórias como via para promoção da alimentação saudável. In: Sousa L, Jacob M, Palmeira P, Pessoa V, editors. Tá na mesa: comunicação em Nutrição para inclusão social. Natal: [s.n.]; 2017.

Sisto C. Contar histórias, uma arte maior. In: Medeiros FHN, Moraes TMR, editores. Memorial do Proler: Joinville e resumos do Seminário de Estudos da Linguagem. Joinville: UNIVILLE; 2007. p. 39-41.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN