Notas sobre a Racionalidade Nutricional e a alimentação saudável

Marcia Regina Viana

Resumo


Objetivo: Conhecer as narrativas que envolvem a relação que o pesquisador do campo de Alimentação e Nutrição mantém com a concepção de alimentação saudável. Metodologia: Análise de conteúdo das narrativas transcritas, colhidas a partir de entrevista semiestruturada. O percurso teórico-metodológico adotado foi a análise de conteúdo e a crítica filosófico-existencialista. Resultados: Foram entrevistados 26 professores de três Programas de Pós Graduação em Alimentação e Nutrição situados nos estados de Rio de Janeiro e São Paulo. Foram encontradas as seguintes categorias: 1) Comida como dieta; 2) Comida como história de vida; 3) Comida como expressão subjetiva. Discussão: As narrativas alimentares de docentes pesquisadores revelam suas crenças epistêmicas; a alimentação saudável pode aparecer como a aplicabilidade da racionalidade nutricional; acredita-se que prescrições moralizantes e normatizadas não priorizam o aspecto social da alimentação, seu papel cultural nas relações humanas e toda a representatividade do preparo e consumo das refeições. Analisada apenas sob o enfoque biológico, a comida não representa a história de vida de seus comensais.  Conclusão: Os discursos dos professores mostram sentidos constituídos por suas expertises e por seus projetos existenciais. Ressalta-se a urgência em superar a predominância de um discurso cientificista e reducionista no campo da alimentação e nutrição.


Palavras-chave


narrativas alimentares; racionalidade nutricional; alimentação saudável; pesquisa qualitativa; escolhas alimentares; medicalização da comida; filosofia da existência

Texto completo:

PDF

Referências


- Castro IRR. Desafios e perspectivas para a promoção da alimentação adequada e saudável no Brasil. Cad Saúde Pública. 2015; 31(1):7-9. Disponível em: www.scielo.br/pdf/csp/v31n1/pt_0102-311X-csp-31-01-00007.pdf

- Villagelim ASB, et al. A vida não pode ser feita só de sonhos: reflexões sobre publicidade e alimentação saudável. Ciência & Saúde Coletiva. 2012;17(3):681-686. Disponível em : www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012000300014

- Vinholes DB, Assunção MCF, Neutzling MB. Freqüência de hábitos saudáveis de alimentação medidos a partir dos 10 Passos da Alimentação Saudável do Ministério da Saúde. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil . Cad Saúde Pública. 2009; 25(4): 791-799. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000400010

- Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014.

- Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura; Organização Pan-Americana da Saúde. Panorama de la Seguridad Alimentaria y Nutricional em America Latina y el Caribe. Santiago do Chile: FAO y OPS; 2017

- Comission of European Communities. A Strategy for Europe on Nutrition, Overweight and Obesity related issues. Bruxelas: CEC; 2007.

- U.S. Department of Health and Human Services; U.S. Department of Agriculture. 2015 – 2020 Dietary Guidelines for Americans. 8. ed. [Washington]: HHS Publication; 2015. Disponível em: https://health.gov/dietaryguidelines/2015/guidelines/.

- Buss PM, Pellegrini Filho A. A saúde e seus determinantes sociais. Physis [Internet]. 2007; 17( 1 ): 77-93. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312007000100006&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312007000100006.

- Gomes RM. Humanização e desumanização no trabalho em saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2017.

- Gaudenzi P. Normal e patológico no naturalismo e no normativismo em saúde: a controvérsia entre Boorse e Nordenfelt. Physis [Internet]. 2016; 26(3): 747-67. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-3312016000300747&Ing=en&nrm=iso&ting=pt

- Kraemer F, Prado SD, Ferreira FR, Carvalho MCVS. O discurso sobre a alimentação saudável como estratégia do biopoder. Physis Rev de Sau Col. 2014; 24(4). Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312014000400016

- Viana MR, Neves AS, Camargo Jr KR, Prado SD Mendonça ALO. A racionalidade nutricional e sua influência na medicalização da comida no Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2017; 22(2). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232017222.25432015

- Castro IRR, Castro LMC, Gugelmin SA. Ações educativas, programas e políticas envolvidos nas mudanças alimentares. In: Diez-Garcia RW, Cervato-Mancuso AM. Nutrição e Metabolismo. Mudanças alimentares e educação nutricional, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011. p. 18-34.

- Dória, CA. A culinária materialista: a construção racional do alimento e do prazer gastronômico. São Paulo: Ed. Senac; 2009.

- Carvalho MC, Luz MT, Prado SD. Comer, alimentar e nutrir: categorias analíticas instrumentais no campo da pesquisa científica. Ciência saúde colet. 2011; 16(1). Disponível em: www.redalyc.org/articulo.oa?id=63015361015

- Prado SD, Carvalho MC, Ferreira FR. Alimentação, Consumo e Cultura. Curitiba: CRV; 2013.

- Diez-Garcia R, Castro IRR. A culinária como objeto de estudo e de intervenção no campo da Alimentação e Nutrição. Ciência Saúde Coletiva. 2011; 16(1). Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000100013

- Gracia-Arnaiz M. Comer bien, comer mal: la medicalización del comportamento alimentario. Salud pública de México. 2007; 49(3).

- Collins H, Evans R. Repensando a Expertise. Belo Horizonte: Fabrefactum; 2010.

- Cardoso CGLV, Costa NMSC. Fatores de satisfação e insatisfação profissional de docentes de nutrição. Ciênc. Saúde Coletiva. 2016; 21(8): 2357-64. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-8123201521803862016

- Moraes PJB. De nutricionista a professor: o percurso formativo dos atuais docentes do curso de nutrição. São Paulo. Dissertação [Mestrado em Educação] - Universidade da cidade de São Paulo; 2014.

- Beauvoir S. Pour une morale de l’ambiguïté. Paris:Gallimard; 1973.

- Chauí M. Convite à Filosofia. 13. ed. São Paulo: Ática; 2003.

- Viana MR. Demissão ou assunção da existência uma questão moral em Simone de Beauvoir. São Paulo: Annablume; 2009.

- Dinucci AC, Fernández ER, Ibarra MLG, Abalo RG. Representação social dos egressos da nutrição na Universidade Federal de Mato Grosso acerca do curso de graduação e da profissão de nutricionista. Psic. da Ed. 2002; 14/15;165-188. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/psicoeduca/article/view/31942

- Freitas MCS, Minayo MCS, Fontes GA. Sobre o Campo da Alimentação e Nutrição na perspectiva das teorias compreensivas. Ciênc. Saúde Coletiva; 2011;16(1). Disponível em www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000100008

- Brasil. Lei Orgânica da Segurança Alimentar e Nutricional - LOSAN. Brasília: CONSEA; 2006.

- Bardin L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Ed. 70; 2011.

- Beauvoir S. Littérature et métaphysique. Paris: Les Temps Modernes; 1946. p.1153-63.

- Flick U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed; 2009.

- Nietzsche F. A vontade de poder. São Paulo: Contraponto; 2008.

- Augé M. Não lugares: introdução a uma antropologia da sobremodernidade. Lisboa: 90 Graus; 2005.

- Gilli RC. As expressões da comida no filme “Amarelo Manga”. Prometeica 2014/2015; 4(9). Disponível em: www.prometeica.com .

- Yasoshima JR. Gastronomia na tela: as representações da comida no cinema. Revista Rosa dos Ventos. 2012;4(3), p.300-16. Disponível em: www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/download/1759/1115

- Alzate Yepes T. El bodegón: comida hecha pintura Parte I. Perspect Nut Hum . 2011 June. [Acesso em 26 maio 2018]; 13(1): 95-9. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0124-41082011000100008&lng=en .

- Flandrin JL. Historia de la alimentación: por una ampliación de las perspectivas. Manuscrits: revista d'història moderna 1987. Disponível em: https://www.raco.cat/index.php/Manuscrits/index

- Gouvea ATRMA. A comida como espetáculo. Campinas(SP). Dissertação [Mestrado em Educação] – Faculdade de Educação da UNICAMP; 2003. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000330567 .


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN