Características da gravidez e lactação de mulheres atendidas em um banco de leite humano

  • Helena Siqueira Vassimon Nutricionista na Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto.
  • Camila Manfredi dos Santos Docente do Curso de Nutrição da Universidade de Franca.
  • Janaína Mendes de Oliveira Cossi
  • Fabíola Pansani Maniglia Docente dos Cursos de Nutrição e Enfermagem da Universidade de Franca.

Resumo

Objetivo: identificar as características da gravidez e da lactação de mulheres que procuraram um banco de leite humano e as razões que motivaram essas mães a recorrerem ao serviço. Métodos: Trata-se de um estudo realizado no Banco de Leite Humano (BLH) da Fundação Santa Casa da Misericórdia de Franca. Foram recrutadas 60 mulheres que responderam a um questionário para a obtenção de informações a respeito da gestação, da amamentação e dos motivos que as levaram ao banco de leite. Resultados: As participantes realizaram o pré-natal em número adequado de consultas e tinham em média 25(6,1) anos. Os sintomas gestacionais mais relatados foram náuseas/vômitos (71,7%) e picamalácia (60%). A maior aversão alimentar referida foi à ingestão de carnes (42,3%). Dentre os fatores que levaram as mulheres a buscarem o BLH, destacaram-se o auxílio para estimular a produção do leite ou para doação do mesmo. 58% das mulheres estavam em aleitamento materno exclusivo e as demais referiram estar aguardando a descida do leite ou estarem distantes dos bebês, que se encontravam no centro de terapia intensiva. Alguns bebês menores de 2 meses receberam água, chás e papas precocemente. Conclusão: As nutrizes recorreram ao BLH por problemas na amamentação, apesar das orientações no pré-natal. Algumas necessitaram de apoio para o estímulo da produção de leite. A importância do BLH vai além de possibilitar o leite às crianças que não puderam ser amamentadas por suas mães, mas também por proporcionar instrução e apoio às lactantes, além do incentivo ao aleitamento materno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola Pansani Maniglia, Docente dos Cursos de Nutrição e Enfermagem da Universidade de Franca.
Nutricionista pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUC/Campinas, Doutora em Ciências pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo FMRP-USP. Docente dos Cursos de Nutrição e Enfermagem da Universidade de Franca.

Referências

- Maldonado MTP. Psicologia da Gravidez. Petrópolis: Vozes; 1997.

- Brasil. Ministério da Saúde. Pré-natal e puerpério: atenção qualificada e humanizada: manual técnico. Brasília: MS; 2006.

- Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 184 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica; n. 23).

- Amaral LJX, Sales SS, Carvalho DPSRP, Cruz GKP, Azevedo IC, Ferreira Júnior MA. Fatores que influenciam na interrupção do aleitamento materno exclusivo em nutrizes. Rev Gaúcha Enferm. 2015;36(esp):127-34.

- Neves CV; Marin AH. A impossibilidade de amamentar em diferentes contextos. Barbaroi. 2013;38:198-214.

- Melo AM. Avaliação da mamada em recém-nascidos prematuros [dissertação] Recife (PE): Universidade Federal de Pernambuco; 2008.

- Brasil. Ministério da Saúde. Campanha incentiva doação de leite materno. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/43263-campanha-incentiva-doacao-de-leite-materno.

- Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Banco de leite humano: funcionamento, prevenção e controle de riscos / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília: Anvisa, 2008. 160 p.

- Silva ES, de Jesus LE, dos Santos EB, de Castro NA, Fonseca LB. Doação de leite materno ao banco de leite humano: conhecendo a doadora. Demetra. 2015;10(4);879-889.

- Fonseca-Machado MOF, Parreira BDM, Dias FA, Costa NS, Monteiro JCS, Gomes-Sponholz FG. Caracterização de nutrizes doadoras de um banco de leite humano. Ciência Cuidado e Saúde 2013. 12(3):529-538.

- Silva PLN, Jorge JCT, Fonseca JR, Pereira ACA, Oliveira VGR. Perfil das mães doadoras de um banco de leite humano. Revista enfermagem UFPE [Internet]. 2013; 7(7):4635-4640.

- Victora CG, Aquino EM, Leal MC, Monteiro CA, Barros FC, Szwarcwald CL. Maternal and child health in Brazil: progress and challenges. Lancet. 2011;377(9780):1863-76.

- Esteves TMB, Daumas RP, de Oliveira MIC, Andrade CAF, Leite IC. Fatores associados à amamentação na primeira hora de vida: revisão sistemática. Rev Saúde Pública. 2014;48(4):697-703.

- World Health Organization. WHO recommendations for prevention and treatment of pre-eclampsia and eclampsia. Geneva: World Health Organization; 2011.

- International Association of Diabetes and Pregnancy Study Groups. Recommendations on diagnosis and classification of hyperglycemia in pregnancy. Diabetes Care. 2010;33(3):676-82.

- de Oliveira ACM, Graciliano NG. Síndrome hipertensiva da gravidez e diabetes mellitus gestacional em uma maternidade pública de uma capital do Nordeste brasileiro, 2013: prevalência e fatores associados. Epidemiol. Serv. Saúde. 2015;24(3):441-451.

- Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 318 p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

- Organização Mundial da Saúde (OMS). Diretriz: Suplementação intermitente de ferro e ácido fólico em gestantes não anêmicas. Genebra: OMS; 2013.

- Niquini RP, Bittencourt SA, Lacerda EMA, Saunders C, Leal MC. Avaliação do processo da assistência nutricional no pré-natal em sete unidades de saúde da família do Município do Rio de Janeiro. Ciência & Saúde Coletiva. 2012; 17(10):2805-2816.

- Gomes MRT, Silva LT, Salamoni RM. Investigação dos tabus e crenças alimentares em gestantes e nutrizes do hospital regional de Mato Grosso do Sul- Rosa Pedrossian. Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde. 2011;15(6):121-133.

- Bueno AA, Beserra JAS, Weber ML. Características da alimentação no período gestacional. LifeStyle Journal. 2016;3(2)30-43.

- Ayeta AC, da Cunha ACB, Heidelmann SP, Saunders C. Fatores nutricionais e psicológicos associados com a ocorrência de picamalácia em gestantes. Rev Bras Ginecol Obstet. 2015; 37(12):571-7.

- Karina Elias de Quintanilha; Maria Fátima Garcia de Menezes. Desejos e aversões alimentares: a visão de gestantes usuárias do serviço de obstetrícia da Policlínica Piquet Carneiro. CERES. 2010; 5(2); 73-88.

- Ichisato SMT, Shimo AKK. Aleitamento materno e as crenças alimentares. Rev Latino-am Enfermagem. 2001;9(5):70-6.

- Torquato RC, Silva VMGN, Lopes APA, Rodrigues LN, da Silva WCP, Chaves EMC. Perfil de nutrizes e lactentes atendidos na Unidade de Atenção Primária de Saúde. Esc Anna Nery. 2018;22(1):1-6.

- Martins CBG, Santos DS, Lima FCA, Gaíva MAM. Introdução de alimentos para lactantes considerados de risco ao nascimento. Epidemiol. Serv. Saúde. 2014;23(1):79-90.

- de Meneses TMX, de Oliveira MIC, Boccolini CS. Prevalência e fatores associados à doação de leite para postos de recebimento de leite humano de unidades básicas de saúde. J. Pediatr. 2017;93(4):382-388.

Publicado
2020-10-15
Como Citar
Vassimon, H. S., dos Santos, C. M., Cossi, J. M. de O., & Maniglia, F. P. (2020). Características da gravidez e lactação de mulheres atendidas em um banco de leite humano. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 11(1), 35-47. https://doi.org/10.47320/rasbran.2020.1153
Seção
Artigos Originais