Avaliação do efeito do psyllium (plantago ovata) nos sintomas de dor em portadores de fibromialgia

Resumo

Objetivo: Avaliar o efeito do psyllium (Plantago ovata) nos sintomas de dor em pacientes com fibromialgia. Métodos: Participaram do estudo mulheres com fibromialgia (FM) cadastradas na lista de espera da Clínica Escola de Fisioterapia da Unisul. A coleta de dados foi feita de março a maio de 2017. Para avaliar o grau de dor foi utilizada a Escala Visual Analógica (EVA), e a frequência de dor foi avaliada através de uma pergunta objetiva. Cada paciente recebeu 300g de Psyllium para utilizar 10g ao dia durante trinta dias. Os dados foram expressos em média e analisados estaticamente pela análise de variância (ANOVA). Resultados: Foram avaliadas 33 pacientes com FM, com idade variando entre 31 a 68 anos. Antes da intervenção com o psyllium o menor número na EVA foi 5 (n=1) e maior 10 (n=3). Após o uso do psyllium o menor número na escala foi 2 (n=1) e o maior 10 (n=2). Já com relação à frequência da dor, 75,75% (n=25) das pacientes informaram ter dor todos os dias antes da intervenção e 51,51% (n=17) após. Os dados deste estudo demonstraram diferença para melhora do grau e frequência de dor, porém não foram estatisticamente significantes. Conclusão: Apesar de não se ter obtido valores estatisticamente significativos, foi possível visualizar melhora na frequência e grau de dor em algumas pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ribeiro KL,Marinho ISF. Fibromialgia e Atividade Física. Fitness & Performance Journal,2005; 4:208-287.

Sociedade brasileira de reumatologia. Fibromialgia: cartilha para pacientes, 2011. Disponível em: <http://www.reumatologia.com.br/PDFs/Cartilha%20fibromialgia.pdf>. Acesso em: 20 de março de 2016.

Cole JA et al. Migraine, fibromyalgia, and depression among people with IBS: a prevalence study. BMC Gasstroenterol (London) 2006; 6(26):1-8.

Helfenstein Jr., M, Heymann R, Feldman D. Prevalência da Síndrome do Cólon Irritável em Pacientes com Fibromialgia. Ver Bras Reumatol, 2006;46(1):16-23

Assumpção A, Matsutani LA. Introdução à Fibromialgia. In: Marques, A P. Fibromialgia e fisioterapia: avaliação e tratamento.1 ed. Barueri: Manole, 2007. cap. 1, p. 1-13.

Sikander A, Rana SV, Prasad KK. Role of serotonin in gastrointestinal motility and irritable bowel syndrome. Clinica Chimica Acta, 2009; 403:47-55.

Bellato E, Marini E, Castoldi F, Barbasetti N, Mattei L, Bonasia DE, et al. Fibromyalgia syndrome: etiology, pathogenesis, diagnosis, and treatment. Pain Res Treat. 2012; 2012:426130

Brioschi EFC, Brioschi ML, Yeng LT, Teixeira MJ. Nutrição funcional no paciente com dor crônica. Rev. Dor (São Paulo), 2009; 10(3):276-285.

Passos LML, Park YK. Frutooligossacarídeos: implicações na saúde humana e utilização em alimentos. Cienc Rural. 2003;33:385-90

Jenkins DJ, Kendall CWC, Augustin LSA, Franceschi S, Hamidi MA. Effect of psyllium in hypercholesterolemia attwomonounsaturatedfattyacidintakes. Am J Clin Nutr.,1997; 65:1524–1533.

Rideout TC, Harding SV, Jones PJH, Fan MZ. Guar gum and similar soluble fibers in the regulation of cholesterol metabolism: Current understandings and future research priorities. Vascular Health and Risk Management 2008;4:1023–33.

Zandonadi R, Botelho R, Araújo WC. Psyllium como substituto do glúten. Nutrire,2005; 30:362-362.

Marlett, J. & Fischer, M. The active fraction of psyllium seed husk. The Proceeding of the Nutrition Society, 2003; 62(1), 207-209.

Jiang H, Ling Z, Zhang Y, Mao H, Ma Z, Yin Y et al. Altered fecal microbiota composition in patients with major depressive disorder. Brain, Behavior, and Immunity, 2015; 48:186–194.

Matsuda JB, Barbosa FR, Morel LJ, França SDEC, Zingaretti SM, da Silva LM et al. Serotonin receptor (5-HT 2A) and catecholO-methyltransferase (COMT) gene polymorphisms: triggers of fibromyalgia? Rev Bras Reumatol 2010;50(2):141-9.

Batistuzzo JAO, Itaya M, Eto Y. Formulário Médico-Farmacêutico. Pharmabooks, 2006; 3:670.

Salas-salvado J, Farre´s X, Luque X. Effect of two doses of a mixture of soluble fibres on body weight and metabolic variables in overweight or obese patients: a randomised trial. British Journal of Nutrition, 2008; 99:1380–1387.

Solà R, Bruckert E, Valls RM, Narejos S, Luque X, Castro-Cabezas M et al. Soluble fibre (Plantago ovata husk) reduces plasma low-density lipoprotein (LDL) colesterol, triglycerides, insulin, oxidised LDL and systolic blood pressure in hypercholesterolaemic patients: a randomised trial. Atherosclerosis. 2010; 211(2): 630-7.

Gostner A. et al. Effect of isomalt consumption on faecal microflora and colonic metabolism in healthy volunteers. Br J Nutr,2006;95:40–50.

Mcrorie JW. et al. Psyllium is superior todocusatesodium for treatment of chronic constipation. Aliment PharmacolTher,1998; 12(5): 491-497.

Kelly G. Inulin-typeprebiotics – a review. Part 1. Alternative Medicine Review, 2008; 13(4):315-329.

Roberfroid MB. Inulin-typefructans: functional food ingredients. London: CRC Press, 2005; 392.

Kolida S, Meyer D, Gibson GR. A double-blind placebo – controlled study to establish the bifidogenic dose of inulin in healthy humans. European Journal of Clinical Nutrition, 2007; 61(10):1189-1195.

Hawrelak JÁ, Myers SP. The causes of intestinal dysbiosis: a review. Altern. Med. R., Sandpoint,2004; 9(2):180-197.

Publicado
2020-07-22
Como Citar
Francisco Viana, F. ., Costa de Araujo, M. ., & Viertel Vieira, I. L. (2020). Avaliação do efeito do psyllium (plantago ovata) nos sintomas de dor em portadores de fibromialgia. Revista Da Associação Brasileira De Nutrição - RASBRAN, 11(1), 86-94. https://doi.org/10.47320/rasbran.2020.912
Seção
Artigos Originais