Transtornos alimentares, percepção da imagem corporal e estado nutricional: estudo comparativo entre estudantes de Nutrição e Administração

Daiane Evangelho Moreira, Mayara Caroline Pinheiro, Danilo Lima Carreiro, Laura Tatiany Mineiro Coutinho, Karen Torres Correa Lafetá de Almeida, Christiane Athayde Santos, Wagner Luiz Mineiro Coutinho, Luciana Caldeira de Paula Ricardo

Resumo


Objetivo: comparar entre estudantes de nutrição e administração: prevalências de anorexia e bulimia nervosa; percepção da imagem corporal; e estado nutricional, bem como identificar associações entre percepção da imagem corporal e anorexia e/ou bulimia nervosa e estado nutricional; e entre peso e altura referidos e aferidos. Métodos: estudo comparativo entre estudantes de uma Instituição de Ensino Superior. Utilizou-se: Teste de Atitude Alimentar, Teste de Investigação Bulímica de Edinburgh, Instrumento de Análises de Silhuetas e questionário demográfico-socioeconômico e de saúde. Resultados: registraram-se entre estudantes de nutrição e administração, respectivas prevalências de anorexia de 25,0% e 14,6%; e de bulimia de 4,2% e 2,2%, com respectivas diferenças estatisticamente insignificantes (p=0,077 e 0,834). 76,1% dos estudantes de nutrição e 67,5% de administração mostraram-se insatisfeitos com a imagem corporal, diferença estatisticamente insignificante (p=0,180). Contudo, 65,6% e 56,2% dos estudantes de nutrição e administração classificaram-se como eutróficos. Percepção da imagem corporal associou-se à anorexia (p=0,000) e à bulimia (p=0,000). Verificaram-se diferenças insignificantes entre médias de peso aferido/referido (p=0,669) e altura aferida/referida (p=0,377). Conclusão: Apesar da maioria dos estudantes de ambos os cursos ter sido classificada como eutrófica, a maioria também se apresentou insatisfeita com a imagem corporal. Verificou-se associação estatística entre percepção da imagem corporal, anorexia e bulimia. Não se registrou associação entre percepção da imagem corporal e estado nutricional; bem como entre grupos e variáveis estudadas. Não se identificou diferença estatisticamente significante entre as médias de peso e altura aferido e referido.

Palavras-chave


Transtornos da Alimentação; Imagem Corporal; Anorexia; Bulimia; TRANSTORNO DA ALIMENTAÇÃO E DA INGESTÃO DE ALIMENTOS; ESTADO NUTRICIONAL, IMAGEM CORPORAL; ANOREXIA NERVOSA; BULIMIA NERVOSA

Texto completo:

PDF

Referências


Bucaretchi HA, Cordás TA. Distúrbios alimentares: anorexia e bulimia. In: Quayle J, Lúcia MCS, editors. Adoecer: as interações do doente com a sua doença. 2a ed. São Paulo: Atheneu; 2007.

Cordás TA. Transtornos alimentares em discussão. Rev. Bras. Psiquiatr. 2001;23(4):178-89.

Borges NJBG et al. Transtornos alimentares – Quadro clínico. Medicina 2006;39(3):340-8.

Prisco APK et al. Prevalência de transtornos alimentares em trabalhadores urbanos de município do Nordeste do Brasil. Ciênc. saúde coletiva 2013;18(4):1109-18.

Cruz AC, Stracieri AMP, Horsts RMF. Percepção corporal e comportamentos de risco para os transtornos alimentares em estudantes de um curso de nutrição. Nutrir. Gerais 2011;5(9):821-40.

Fiates GMR, Salles RK. Fatores de risco para o desenvolvimento de distúrbios alimentares: um estudo em universitárias. Rev. Nutr. 2001;14(suppl):3-6.

Gonçalves TD et al. Comportamento anoréxico e percepção corporal em universitários. J. Bras. Psiquiatr. 2008;57(3):166-70.

Giordani RCF. O corpo sentido e os sentidos do corpo anoréxico. Rev. Nutr. 2009;22(6):809-21.

Bosi MLM et al. Autopercepção da imagem corporal entre estudantes de nutrição no Rio de Janeiro. J. Bras. Psiquiatr. 2006;55(2):108-13.

Cordás TA, Claudino AM. Transtornos alimentares: fundamentos históricos. Rev. Bras. Psiquiatr. 2002;24(suppl. 3):3-6.

Cenci M, Peres KG, Vasconcelo FAG. Prevalência de comportamento bulímico e fatores associados em universitárias. Rev. Psiquiatr. Clín. 2009;36(3):83-8.

Hay PJ, Bacaltchuk J. Extracts from "clinical evidence": bulimia nervosa. BMJ. 2001(3):23:33-7.

Morgan CM, Vecchiattti IR, Negrão AB. Etiologia dos transtornos alimentares: aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Rev. Bras. Psiquiatr. 2002;24(suppl 3):18-23.

Nunes MAA, Pinheiro AP. Risco e prevenção em transtornos do comportamento alimentar. In Nunes MAA et al. editors. Transtornos alimentares e obesidade. Porto Alegre: Artmed; 1998.

Vieira JLL et al. Distúrbios de atitudes alimentares e distorção da imagem corporal no contexto competitivo da ginástica rítmica. Rev. Bras. Med. Esporte 2009;15(6):410-4.

Cordás TA, Hochgraf PO. O "BITE": instrumento para avaliação da bulimia nervosa - versão para o português. J. Bras. Psiquiatr. 1993;42:141-4.

Soares LM, Andrade AP, Rumin CR. Presença de transtornos alimentares em universitárias dos cursos de Nutrição, Educação Física e Psicologia. Omnia Saúde 2009;(6):1.

Stunkard AJ, Sorenson T, Schlusinger F. Use of the danish doption register for the study of obesity and thinness. In: Kety SS, Rowland LP, Sidman RL, Mathysse SW, editors. The genetics of neurologic and psychiatric disorders. New York: Raven; 1983.

Rech CR, Araújo EDS, Vanat JR. Autopercepção da imagem corporal em estudantes do curso de educação física. Rev. bras. educ. fís. esporte 2010;24(2):285-92.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) – CD 2010- Questionário da Amostra. Censo 2010. Disponível em: http: //www.censo2010.ibge.gov.br/download/questionário/censo2010_amostra.pdf>Acesso em: 18 dez. 2014.

Kirstenl VR, FRATON F, PORTA NDB. Transtornos alimentares em alunas de nutrição do Rio Grande do Sul. Rev. Nutr. 2009;22(2)219-27.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity. Preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation on obesity. WHO/NUT/NCD/981, WHO, Geneva, 1998.

Porto MG et al. Uso ocasional, abusivo ou dependência de substâncias psicoativas entre calouros do curso de graduação em fisioterapia. Lecturas, Educación Física y Deportes, 2012;17(171).

Carreiro DL, Coutinho LTM, Coutinho WLM. Tendência empreendedora do acadêmico de educação física. R. Min. Educ. Física 2010; edição especial (5):115-24.

Toledo GR, Dallepiane LB, Busnello MB. Fatores preditivos para transtornos alimentares em universitárias do curso de nutrição da Unijuí, Ijuí, RS. Rev. Bras. Clín. 2009;24(1):17-22.

APA - AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Practice guideline treatment for psychiatric disorders: compendium 2000.Washington: The Association; 2000.

Alvarenga MS, Scagliusi FB, Philippi ST. Comportamento de risco para transtorno alimentar em universitárias brasileiras. Rev. Psiquiatr. Clín.2011;38(1):3-7.

Laus FM, Margarido CR, Costa BMT. Diferenças na percepção da imagem corporal, no comportamento alimentar e no estado nutricional de universitárias das áreas de saúde e humanas. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul 2009;31(3):192-6.

Santos IC, Segond NP, Malheiros LR. Comportamento alimentar dos estudantes de Nutrição da UFF. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, 2003, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: Minasplan, 2003:60-7.

Souza FGM et al. Anorexia e bulimia nervosa em alunas da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará – UFC. Rev. Psiquiatr. Clín. 2002; 29(4):172-80.

Fernandes CAM et al. Fatores de risco para o desenvolvimento de transtornos alimentares: um estudo universitárias de uma instituição de ensino particular. Arq. Ciênc. Saúde UNIPAR 2007; 11(1):33-8.

Pyle RL et al. The incidence of bulimia in freshman college students. International Journal Eating Disorders, 1983; 2:75-85.

Drewnowski A, Yee DK, Krahn DD. Bulimia in college women. American Journal Psychiatry 1988;145: 753-5.

Katzman M, Wolchik S, Braver T. The prevalence of frequent binge eating and bulimia in a non-clinical college sample. International Journal Eating Disorders, 1984;3:53-62.

Laus MF et al. Percepção da imagem corporal e estado nutricional em estudantes de nutrição. Alim. Nutr. 2006;17(1):85-9.

Reato LFN. Mídia X adolescência. Pediatria Moderna 2001;37:37-41.

Chor D, Coutinho ESF, Laurent R. Confiabilidade da informação de peso e estatura em funcionários de banco estatal. Rev. Saúde Pública 1999;33(1):16-23.

Silveira EA et al. Validação do peso e altura referidos para o diagnóstico do estado nutricional em uma população de adultos no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública 2005;21(1):235-45.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN