Educação alimentar e nutricional para crianças, adolescentes e familiares em uma escola pública de Salvador, Bahia

Karina Borges Kroth

Resumo


Objetivos: Estimular o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis em escolares e seus familiares, por meio de uma intervenção de educação alimentar e nutricional em uma escola pública da rede municipal de Salvador, Bahia. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, do tipo relato de experiência. Foi elaborada uma ação educativa com escolares na faixa etária de 4 a 13 anos e seus responsáveis. Foi realizada uma roda de conversa abordando principalmente a relevância de uma alimentação adequada no desenvolvimento e saúde das crianças e adolescentes, bem como a importância e a influência da família na construção de hábitos alimentares saudáveis. Houve ainda degustação de receitas saudáveis e foi aplicado o teste de aceitabilidade com base na escala hedônica facial mista. Resultados: Todos os familiares presentes avaliaram positivamente a ação, referiram compreender a necessidade de se oferecer lanches saudáveis e comentaram que preparariam em casa as receitas realizadas. E apenas duas das seis preparações culinárias ofertadas foram bem-aceitas. Conclusão: A intervenção proporcionou a ampliação dos conhecimentos dos participantes. Entretanto, a realização de ações em educação alimentar e nutricional que apresentem maior duração são necessárias para que se possa promover a alimentação saudável de maneira mais efetiva e contribuir com a construção dos hábitos de vida dos escolares e suas famílias.

Palavras-chave


educação alimentar e nutricional; hábitos alimentares saudáveis; saúde escolar

Texto completo:

PDF

Referências


Gabriel CG, Santos MV, Vasconcelos FAG. Avaliação de um

programa de hábitos alimentares saudáveis em escolares de

Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Rev Bras Saúde Mater Infant.

; 8 (3): 299-308.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco

de referência de educação alimentar e nutricional para as

políticas públicas. Brasília, DF: A Secretaria, 2012. [Acesso em 22

mar 2018]. Disponível em:

[https://www.nestle.com.br/nestlenutrisaude/Conteudo/diretriz

/Marco_Referencia_de_Educacao_Nutricional_Alimentar.pdf].

Ramos FP, Santos LAS, Reis ABC. Educação alimentar e nutricional

em escolares: uma revisão de literatura. Cad. Saúde Pública.

; 29 (11): 2147-61.

Organização Mundial de Saúde. Global strategy on diet, physical

activity and health. Geneva: 2003. [Acesso em 08 jun 2017].

Disponível em:

[http://www.who.int/dietphysicalactivity/strategy/eb11344/strat

egy_english_web.pdf].

Kroth, JB & Fraga-Maia, HMS. Pressão arterial, perfil

antropométrico e demais fatores de risco cardiovascular em

escolares da rede pública. Rev Pesq em Fisio. 2015; 5 (3): 251-61.

Gaglianone CP, Taddei JAAC, ColugnatI FAB, Magalhães CG,

Davanço GM, Macedo Lino de, et al. Educação nutricional no

ensino público fundamental em São Paulo, Brasil: projeto

reeducação aos riscos de adoecer e morrer na maturidade. Rev

Nutr. 2006; 19 (3): 309-20.

Pérez-Rodrigo C & Aranceta J. School-based nutrition education:

lessons learned and new perspectives. Public Health Nutr. 2001;

(1): 31-9.

Pearson N, Biddle SJ, Gorely T. Family correlates of fruit and

vegetable consumption in children and adolescents: a systematic

review. Public Health Nutr. 2009; 12 (2): 267- 83.

Oliveira AM, Cerqueira EMM, Souza JS, Oliveira AC de. Sobrepeso

e obesidade infantil: influência de fatores biológicos e ambientais

em Feira de Santana, BA. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2003; 47

(2): 144-50.

Greves HM & Rivara FP. Report card on school snack food policies

among the United States' largest school districts in 2004-2005:

room for improvement. Int J Behav Nutr Phys Act. 2006; 3(1): 1-

Brasil. Ministério da Saúde. Guia Alimentar: Saiba como ter uma

alimentação saudável. [Monografia na internet] . Brasília:

Ministério da Saúde, [s.d.]. [Acesso em 07 jan 2017]. Disponível

em:

[http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=pu

blicacoes/guia_alimentar_bolso]

Manual para aplicação dos testes de aceitabilidade no Programa

Nacional de Alimentação Escolar. PNAE. UNIFESP. 2010. [Acesso

em 28 jun 2017]. Disponível em:

[http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/5166-

manual-para-aplicação-dos-testes-de-aceitabilidade-no-pnae].

Universidade Federal de São Paulo. Centro Colaborador em

Alimentação e Nutrição; Universidade de Brasília. Centro

Colaborador em Alimentação e Nutrição. Manual para aplicação

dos testes de aceitabilidade no Programa Nacional de

Alimentação Escolar – PNAE. [Monografia na internet]. Santos,

SP: O Centro, 2010. [Acesso em 28 jun 2017]. Disponível em:

[http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/5166-

manual-para-aplicação-dos-testes-de-aceitabilidade-no-pnae].

Muniz VM & Carvalho AT. O Programa Nacional de Alimentação

Escolar em município do Estado da Paraíba: um estudo sob o olhar dos beneficiários do Programa. Rev Nutrição, Campinas.

; 3 (20): 285-96.

Branen L, Fletcher J. Comparison of college students' current

eating habits and recollections of their childhood food practices. J

Nutr Educ. 1999; 31(6): 304-10.

Oliveira SA, Ellison RC, Moore LL, Gillman MW, Garrahie EJ, Singer

MR. Parent child relationships in nutrient intake: the Framingham

Children's Study. Am J Clin Nutr. 1992; 56(3): 593-8.

Feitosa EPS, Dantas CAO, Wartha-Andrade ERS, Marcellini PS,

Mendes-Netto RS. Hábitos alimentares de estudantes de uma

universidade pública no nordeste, Brasil. Alim. Nutr., Araraquara.

; 1 (2): 225-30.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde.

Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a

população brasileira. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Costa EQ, Ribeiro VMB, Ribeiro ECO. Programa de alimentação

escolar: espaço de aprendizagem e produção de conhecimento.

Rev Nutr. 2001; 14(3): 225-9.

Kranz S, Findeis JL, Shrestha SS. Use of the Revised Children’s Diet

Quality Index to assess preschooler’s diet quality, its

sociodemographic predictors, and its association with body

weight status. J Pediatr. 2008; 84: 26-34.

Vasconcelos EM. Educação popular nos serviços de saúde. 2. ed.

São Paulo: HUCITEC, 1991.

Freire P. Educação e mudanças. 24. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Associação Brasileira de Nutrição - RASBRAN